Segunda-feira, 6 de Agosto de 2007

"Ser treinador, não é um trabalho, é uma aventura"

Pedro Antunes é um português com responsabilidades em  todo o sucesso que a Suiça está a ter na modalidade do hóquei em patins.
Foi seleccionador da Suiça entre 2000 e Janeiro de 2007, tendo treinado sete dos dez atletas vice-campeões do Mundo. Agora, prepara-se para treinar a equipa da Juventus-Montreaux HC da 2ª divisão.




O Pedro Antunes é ribatejano. O que o levou a emigrar para a Suiça?

 Já tinha o meu irmão Jorge à vários anos na Suiça. Quando terminei o 12° ano, não senti grande vontade de continuar a estudar. A distancia que havia para ir para as universidades desencorajaram-me. Pedi ,então, à família para vir com o meu irmão. Foi dificil, mas tinha mesmo vontade de vir. Sempre tive um grande espírito aventureiro e embora às vezes seja dificil, como para qualquer emigrante, o percurso que fiz na Suiça, deixa-me muito feliz.

Este ano fiz 40 anos, já cá estou á 22 e não me arrependo nada de ter feito esta escolha.


 

 
Como é que nasceu o gosto pelo hóquei em patins?

 Um dia, 1980, houve um grupo de Holandeses que foi construir um ringue em Riachos. Os antigos jogadores e amigos do hóquei em patins, que já  tinham jogado à vários anos naquela terra, relançaram o hóquei. Mas sempre me lembro de passar horas a ouvir e a gravar cassetes dos relatos dos jogos na rádio. O Hóquei foi sempre o desporto que maior paixão despertou em mim. O virus « hóquei » corre-me nas veias…

 


Costuma acompanhar com atenção o hóquei português?

 Estou à  22 anos na Suiça, mas nunca deixei de acompanhar o que se passa em Portugal.

Antigamente passavam muitos jogos na TV. Pedia ao meu pai para mos gravar e depois ele enviáva-mos para a Suiça. Via as cassetes as vezes que fosse preciso, até « compreender » o jogo.

Foi assim que observando sobretudo os jogos do Benfica de Carlos Dantas, aprendi a « ler hóquei » e a transmitir o que eu queria aos meus jogadores.

Essa foi a minha escola. Sempre fui um « Auto-didacta ».

 


Quais as maiores virtudes e defeitos que aponta ao hóquei praticado em Portugal?

 As maiores virtudes, são a liberdade que é dada aos jogadores, para fazerem trabalhar a sua imaginação durante os jogos. O Maior defeito é que nas equipas há demasiados jogadores a abusarem disso…

 


Na sua opinião, a próxima época vai ser mais equilibrada ou o FCPorto alcançará o sétimo título nacional consecutivo?

 Com as saídas de Pedro Gil e Reinaldo Garcia do F. C. Porto para Espanha e com a manutenção do Plantel do Benfica, talvez o próximo campeonato seja ainda mais disputado.

Penso que o título será mais uma vez para o Porto ou para o Benfica. São as equipas que têm um plantel mais equilibrado.


 

Muitos treinadores criticam que muita da culpa para a actual situação do hóquei em Portugal é da Federação. Partilha da mesma opinião?

 Não sei. O que sei, é que estão a desaparecer do panorama do hóquei, várias pessoas importantes e muitos clubes fecham as portas por diversas razões. Isso é muito mau para o hóquei português. Pelo que leio, a mensagem que passa é que a maior parte das pessoas, não acreditam na capacidade de certas pessoas ligadas á FPP. O « clima » actual, é muito mau.

Naturalmente que os outros países como a Espanha ou a Suiça agradecem !


 

 E na Suiça? Como é que tem sido a evolução do hóquei?

 O trabalho que começamos a fazer há vários anos nas seleções, obtendo excelentes resultados nos campeonatos da Europa e do Mundo, fazem que hoje possamos ter uma seleção confiante e sem medo de ninguém.

Temos também cada vez mais miúdos a começar a jogar hóquei com 6-7 anos, atingindo por isso melhores indices de tecnica individual, o que nos permite adaptar muito mais facilmente, os jogadores á táctica que queremos aplicar. Táctica, é uma coisa que é uma realidade no nosso hóquei e que á poucos anos atrás era apenas « estudada e aplicada » por dois ou três clubes…

Quando lancei, por exemplo, a marcação homem a homem nos meus juvenis do Genève em 1995, chamaram-me « maluco ». Fomos campeões em 95, 96 e 98. Hoje todos defendem hxh pelo menos a partir dos juvenis…

Se a Federação Suiça tivesse mais apoios, para as seleções poderem ter mais tempo de preparação, os resultados, poderíam ser ainda melhores. Relembro, que só temos um jogador profissional… 10 clubes com pistas cobertas… 18 clubes suiços em actividade… 1000 licenciados. A Suiça tem feito muitos « milagres » ! E muitas « grandes omelettes com poucos ovos ».

 


A campanha da selecção suiça no mundial de Montreux surpreendeu-o?

 Sim e não... Depois da derrota no primeiro jogo contra a Itália e das difícílimas vitórias contra Andorra e Inglaterra, a vitória contra Portugal nos ¼ de final e contra a Argentina nas ½ finais, acabaram por me surpreender. No entanto, a vitória contra um Portugal demasiado confiante e com problemas de concentração incríveis, só é uma surpresa para quem não viu o jogo. O guarda-redes Suiço Bjorn Hauert, esteve também simplesmente fantástico e deu a confiança necessária aos jogadores, para irem para a frente e jogarem de igual para igual contra Portugal. Contra a Argentina foi a mesma coisa. A Suiça não roubou nada a ninguém.

A Suiça foi fantástica e contou com um garda-redes que foi espectacular. Isso foi muito importante.

 

 

Sente que contribuiu para o feito histórico da selecção, visto que foi seleccionador nacional de juniores?

 Sinto eu e sentiram muitas pessoas que me vieram agradecer o trabalho que eu fiz com 7 dos 10 jogadores que se sagraram Vice-Campeões da Europa em 2006 e Vice-Campeões do Mundo em 2007. E formámos mais jogadores de grande valor, que esperam uma oportunidade.

São vários os factores necessários para o sucesso de uma equipa. Nestes últimos anos, temos trabalhado na Federação e nos clubes, para que o sucesso da Suiça possa ser uma realidade. Esse trabalho está agora a dar os seus frutos.

Em muitos clubes, os jogadores transmitem o que aprendem nos treinos da selecção. Isso é muito importante também e é uma grande prova de humildade da parte de alguns treinadores, que também têm « crescido » muito com isso.

 

Em 2005, por exemplo, o clube de Uri jogou em Juniores com a mesma táctica que jogáva-mos na seleção de juniores. Foram campeões, só com vitórias.

 


Esperava que a campanha de Portugal fosse tão fraca?

Sinceramente não. Mas como te digo, são vários os factores que fazem que uma equipa tenha ou não tenha o sucesso que pretende.

Se falham alguns factores importantes, podes ter os melhores jogadores do mundo e os melhores treinadores do mundo, que não ganhas nada…

Alguma coisa falhou. O que foi não sei nem tenho nada que saber. São coisas que só a equipa deve saber.

A meu ver, faltou alguma « velhice » a Portugal, mas se tivéssem ganho eram os maiores !

 


Consegue explicar o facto de o último mundial ganho por Portugal tenha tido mão de um treinador sem curso?

 « Essa » dos cursos, deixa-me muito perplexo. Já imaginás-te ver o Quim Barreiros, por exemplo, a dar cursos de canto ao Pavarotti ? Ou eu a dar cursos de condução ao Alonso ?

A necessidade de ter cursos de um certo nível, para treinar uma certa equipa, fez com que grandes nomes do hóquei se desligassem da modalidade.

Repito, países como a Espanha e a Suiça agradeçem ! Mas Portugal e o hóquei mundial, perderam muito com isso.

O Victor Hugo, já provou várias vezes que não é preciso ter o curso, para ser um bom treinador. O cursos são com certeza muito importantes e interessantes, mas não são mais importantes que a experiencia pessoal. « Quem sabe, sabe ».

 


Este ano vai assumir o comando de uma equipa modesta, na Suiça. Quais são os objectivos?

 É verdade que quando estás habituado a jogar hóquei ao mais alto nível, como fiz durante 7 anos em Campeonatos Europeus, não é simples passar para um campeonato de 2° divisão.

Mas o carinho e o interesse que o Juventus-Montreus HC, me mostrou após a minha saída da Federação em janeiro deste ano, faz com que eu tenha aceite com muito prazer e muita satisfação o seu convite para treinar a sua equipa principal.

Eles merecem que lhes dê o máximo para lhes agradecer. Sei que irei ter muitas dificuldades para obter sempre os resultados que pretendo, com uma equipa que se classificou apenas no 7° lugar do campeonato da 2° divisão na epoca passada, mas vou tentar leva-la á primeira. Além disso, vou poder trabalhar de novo com o meu amigo de seleção Jorge Elias, que também me irá dar uma mãozinha, quando isso lhe for possível.

Mas o objectivo de conseguir subir, só Deus é que sabe se se vai concretizar…

De qualquer maneira, seja para mim ou para outro qualquer, as leis são sempre as mesmas… Quando ganhas, és o maior, quando perdes és uma « merda ». As opiniões podem mudar de um dia para o outro.

 


Tem como objectivo o regresso a Portugal para exercer funções no hóquei em patins?

 Um regresso a Portugal, não está na minha mente actualmente. Muito menos para exercer funções no hóquei em patins… Hóquei em Portugal, só mesmo para me divertir com os meus velhos amigos ou para passar 2 ou 3 dias em « campos de hóquei », como foi o caso este ano a convite do Vilanova (Espanha), que me fez um enorme prazer.

Neste momento, Portugal, só me interessa para estar com a minha família, que é a coisa mais importante do mundo e para recarregar baterias durante as férias.

Gosto muito de hóquei, mas « tenho os pés bem acentes na terra »…

Para mim, ser treinador, não é um trabalho… é uma aventura ! Tinha que valer mesmo a pena… Tipo José Mourinho (risos).

Mas como se costuma dizer, « nunca digas, desta água não beberei ».

 

Com que objectivo criou o seu blog, que é um sucesso de visitas e de inter-acção com várias pessoas ligadas à modalidade?

 Já estou ligado á modalidade à 27 anos. Vivi muitas coisas. Conheci muita gente bonita e que eu aprecio. Gosto de dar as minhas opiniões sobre a modalidade. Gosto da inter-actividade que um blog te permite ter.

Sempre quis meter um pouco de ordem nos meus papéis… Fazer albuns de fotografias… Organizar as minhas melhores recordações… Viver hóquei todos os dias !

O Blog permite-me fazer isso tudo ao mesmo tempo. O http://patinslover.blogspot.com, tem sido um prazer para mim e para muitas pessoas felizmente. É o meu jornal aberto. Um pouco da minha história. Tenho conhecido muita gente através dele. Permiti meter em contacto, várias pessoas. Reencontrei amigos. Dois ou três anónimos gostam de me mandar uma bocas de vez em quando, mas isso é normal (não se pode agradar a todos e fazem-me rir). Gosto de fazer rir. Gosto de ver as pessoas felizes á minha volta. Gosto de trabalhar sériamente. Fazer entrevistas e pedir opiniões. O meu Blog, permite-me tudo isso.




Álvaro Gonçalves






publicado por Álvaro Gonçalves às 09:54
link do post | comentar | favorito

.O autor do blog

.Novembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Novo endereço

. Júlio Magalhães apresenta...

. Maré volta a Bazar durant...

. FC Porto goleou o Benfica

. H.C.Fão com nova direcção

.arquivos

blogs SAPO

.subscrever feeds